Visitando a Tecmaturgia: Demacia

por maio 6, 2021Blog, hexcriba0 Comentários

A série pode demorar, mas aos poucos cada uma das regiões terá seu próprio artigo com a visitação à Tecmaturgia em sua região. Hoje é a vez de Demacia, uma das regiões mais complicadas em se pensar Tecmaturgia, não pela parte técnica, mas sim pela parte da “turgia”, da “magia” ou ainda, da operação de milagres e coisas similares.

Nesse artigo se faz importante explicar o motivo dessa complicação. Caso você não saiba, Demacia é uma cidade onde a magia é muito mal vista, ela é perseguida e é realmente perigoso para qualquer pessoa demonstrar ter poderes mágicos, provavelmente até mesmo utilizar de poderes mágicos de coisas naturais pode ser algo que coloque a vida da pessoa em risco.

Demacia foi construída no passado por pessoas que fugiram das consequências de uma guerra de proporções catastróficas cujo maior combustível foi a magia. Quando encontraram a floresta de petricita que lhes forneceu proteção contra a magia, sabiam que estavam no lugar certo para sobreviver e fazer resistência.

Logo, desde antes de ser fundada, Demacia já fugia da magia e a via como algo ruim. A sociedade Demaciana se desenvolveu nos séculos seguintes em volta desse dogma, que a magia era algo ruim, deveria ser evitada e combatida. Graças a isso muitas atrocidades foram feitas em nome desse ideal de proteção, muitas liberdades foram tomadas e vidas foram ceifadas.

Por esse motivo, qualquer tecmaturgo que exista em Demacia, por cânone, deve ser perito em esconder os aspectos mágicos de suas invenções, ou quando possui um patronato realmente poderoso, reservá-lo aos olhos hipócritas de quem garante sua sobrevivência. Uma relação perigosa pode nascer disso.

Portanto, ao falar de Tecmaturgia em Demacia, perceba que boa parte dos aspectos das invenções, dispositivos, aparatos e outros trecos, serão sempre pautados em uma mescla de ciência e pseudo-ciência, muitas vezes com explicações que servem apenas para tentar mascarar a magia. A garantia de que isso não cause problemas? Ela não existe.

Demacia

Nesse reino onde a magia não é bem vista, é possível de encontrar alguns poucos tecmaturgos que operam no limiar do temor anti-magia da região e muitas vezes sob égide de alguma família poderosa, normalmente através de invenções mais discretas que muitas vezes são feitas com petricita e procuram se afastar ao máximo do que possa ser visualmente similar a efeitos mágicos.

Construtos

A relação de Demacia com construtos é praticamente inexistente. Nenhum “robô” ou “golem” seria bem visto na capital ou em qualquer cidade adjacente. O que torna tudo mais interessante é o fato de Demacia ter o maior construto que conhecemos em Runeterra, Galio.

Construído como uma estátua por Durand, um artesão do passado, a Petricita com a qual Galio foi construído absorveu séculos de magia, especialmente quando era utilizada como um catalizador de magia em campos de batalha para previnir o uso de feitiços por exércitos inimigos.

Dessa forma, em Demacia é extremamente improvável que existam construtos, mas vejam bem, não é impossível.

Um construto em Demacia poderia ser um mordomo de uma família muito poderosa, um servo que é mantido escondido dos olhos gerais, mas ainda assim isso seria um grande risco. Já na parte de experimentos mágicos, Demacia não tem isso acontecendo de forma a produzir consequências como um construto.

Talvez a única forma que seja possível se criar um construto demaciano seja através de manifestações autônomas, sem terem a condução de uma mão viva, exceto se for por acaso, como algum demaciano descobrindo ter poderes mágicos. Isso causaria automaticamente dois problemas para esse construto:

O primeiro seria manter-se vivo, pois certamente quão mais pessoas o vissem, mais rapidamente os Caçadores de Magos entrariam no encalço de tal criatura. 

Já o segundo problema seria fugir de Demacia, uma vez que conseguisse se manter vivo, fugir de Demacia seria mandatório para poder ter alguma esperança de vida. Aqui as opções são poucas e nenhuma parece particularmente segura.

Dispositivos

Agulheira: As bestas são comuns em Demacia, com uma das mais importantes patrulheiras carregando uma obra única. Agulheiras em Demacia seria facilmente disfarçadas em bestas de mão ou pesadas, com mecanismos de engrenagens complexos para esconder a geração de energia impulsionadora. Talvez até mesmo uma corda poderia existir de forma decorativa para dar impressão de que a mesma é que impulsiona os projéteis. Algumas propriedades como o dano elemental seriam um pouco mais complicados de camuflar, mas “cápsulas químicas” poderiam facilmente sair do radar de magia.

Arma de Elixir: Pense em um simples tubo com mecanismo pneumático, com um mecanismo de disparo similar ao de uma besta. Um tubo de vidro resistente faz a vez de bocal onde são inseridas as poções a serem disparadas. Dessa forma até mesmo meio aos Caçadores de Magos uma Arma de Elixir poderia funcionar sem levantar quaisquer suspeitas. Obviamente, nem todas as cápsulas arcanas seriam facilmente disfarçadas, aqui o segredo seria inteligência na escolha dos efeitos.

Cajado Tecnomante: Não sabemos como Demacia se comporta com o princípio da eletricidade, isso dificulta bastante algumas propriedades de um Cajado Tecnomante, com seus raios não sendo de forma alguma possíveis de serem disfarçados sem esse conhecimento, afinal, disparar raios é sinônimo de magia. Algumas poucas propriedades seriam possíveis de serem camufladas por uma pessoa com um uso surpreendente de um bastão, mas ainda assim, é risco demais.

Drone Coruja: Duas formas de utilizar Drone Coruja existem, uma delas é a mais simplória através de uma Pipa presa a uma corda e a segunda através de uma que tenha a aparência e comportamento de um pássaro. Talvez até na forma de uma Águia-Azurita (mas seria muito arriscado). Certamente o trabalho para camuflar aqui tornaria muito mais viável um “falcoeiro” muito hábil ter tanta sinergia com um “pássaro”.

Égide Pneumática: Algo grande, pesado com engrenagens e pistões expostos. Talvez use pólvora como combustível. Certamente é possível de usar sem levantar suspeitas, mas com certeza a maioria dos demacianos acharia estranho e na falta de uma evidência maior, manteriam distância de gente que utilize isso ao invés de um brilhante escudo com o orgulhoso brasão demaciano. Parte das atualizações poderia ser camuflada como um uso surpreendente hábil, talvez até um pouco de bênção da “Justiceira” pudesse servir. 

Ignium:  Um lança-chamas comum. Cano, mangueira, uma fonte de fogo… e combustível, talvez um combustível pegajoso, talvez um combustível que seja na verdade um gás. Contanto que seja visível que algo está sendo lançado e queimando (mesmo que na verdade não esteja), ninguém faria qualquer resistência. Que magia que existe em uma lamparina super poderosa caseira? Tá tudo bem.

Irradiador de Projéteis: Outra vez a solução aqui se vale principalmente da química. Uma flecha que tenha uma ponta incinerante é tão comum que você pode sequer ter que se preocupar em explicar alguma coisa. Mas mantenha uma aparência simples, uma aljava comum, talvez um floreio e um bordado de fios de prata com brasão demaciano atraiam simpatia dos demais.

Precursor Magnético: Gosta muito disso? Não se arrisque, uma pequena torreta que dispare dardos, mas seja controlada por cordas pode até não atrair tanta atenção. Mas se começar a flertar com um autômato controlado à distância. Boa sorte explicando o que são ondas de rádio enquanto você queima na fogueira inquisitiva demaciana. É simplesmente arriscado demais para você sequer pensar nisso. Eu sei que isso destrói sonhos, mas acredite, você vai preferir ficar vivo e poder ter novos sonhos.

Transdutor Explosivo: Pura habilidade. São granadas, que possuem um “temporizador” que você habilmente consegue girar para que explodam na hora certa. Afinal, pólvora é conhecida de Demacia através de canhões, alguém certamente habilidoso consegue fazer frascos explosivos bem interessantes e se você tem ainda mais habilidade em arremessar, quem vai poder falar qualquer coisa? Ninguém vai ligar para aquele treco estranho feito de aço e prata que você usa como um medalhão desengonçado.

Vibrum:  Talvez, apenas TALVEZ, ter uma arma feita por uma Ferreira Yordle que está em Demacia há mais tempo do que a nação sequer existe, seja uma boa desculpa. Mas é bem talvez mesmo, ok? Mas quer saber a verdade? Não importa, de todos os dispositivos aqui, a vibrum é a que melhor seria aceita e passaria despercebida. Estamos falando de uma belíssima espada de aço rúnico manejada com maestria. Ou mesmo daquele pesado machado lustroso que possui um floreio interessante em seu cabo, no qual podem ser vistas a Justiceira e passagens de seu credo. Quem reclamar disso, que se vire com os caçadores de magos.

Como vocês puderam ver, em Demacia cada um dos dispositivos possui um grau de facilidade em fazer parte do dia a dia. Enquanto alguns mal seriam percebidos, outros simplesmente seriam um grande sinaleiro pedindo para que os Caçadores de Magos façam uma visitinha desagradável à sua pessoa.

Uma nação tão atrasada tecnologicamente (afinal, magia também é uma tecnologia) com certeza terá dificuldades em engolir algumas explicações, mas um pouco de preparo e habilidade, além de sorte e talvez um pouco de prestígio, podem facilitar a sua atuação.

Mas fica uma última dica: Não abuse da sorte!

0 comentários

Deixe uma resposta

pt_BRBR
%d blogueiros gostam disto: